Sindicalistas debatem ações para enfrentar práticas antissindicais

Como enfrentar as práticas antissindicais das empresas no contexto atual? Esse foi um dos temas da LIVE...

Como enfrentar as práticas antissindicais das empresas no contexto atual? Esse foi um dos temas da LIVE NACIONAL  “PRÁTICAS ANTISSINDICAIS: ATAQUE AO EMPREGO, SAÚDE E RENDA DO TRABALHADOR”, realizada na quinta-feira, 22 de julho, pelo Fórum Estadual de Liberdade Sindical do  Paraná, que reúne  as Centrais Sindicais e o Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT).

 
A abertura do evento foi realizada pelos presidentes e/ou representantes nacionais das Centrais Sindicais (CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, Pública e UGT) e pelos presidentes estaduais das Centrais do Paraná.
 
Miguel Torres, presidente da Força Sindical, destacou as inúmeras práticas antissindicais, os ataques aos direitos da classe trabalhadora e ao movimento sindical, questionou o interdito proibitório, que dificulta judicialmente as ações sindicais, a perseguição aos trabalhadores ativistas e dirigentes sindicais, criticou as empresas que pressionam os trabalhadores para que não fiquem sócios dos Sindicatos e considerou vergonhoso os ataques do governo às NRs.
 
“Precisamos defender a nossa história e lembrar aos trabalhadores e à sociedade que todas as conquistas passaram pelas lutas e greves do movimento sindical, como a cesta básica, o 13º salário, a jornada de trabalho, entre outras. Devemos também neste momento unir todas as forças progressistas do País em defesa da retomada do desenvolvimento, das eleições e da Democracia que está em risco”, destacou Miguel Torres, que também é presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes.
 
O palestrante foi o procurador do MPT, Dr. Alberto Emiliano de Oliveira Neto, repercutindo o Manual de Combate às Práticas Antissindicais, lançado pelo no ano passado pelo Ministério Público. O  Manual apresenta uma breve introdução a respeito da liberdade sindical e dos atos antissindicais; Logo após tipifica as principais condutas  contrárias à liberdade sindical tendo como base o ordenamento jurídico, as decisões da OIT e a jurisprudência sobre o assunto.
 
“O Manual é um instrumento importante de orientação aos Sindicatos sobre como enfrentar as práticas antissindicais. Na live vamos apresentar um resumo do que contêm e  como pode ser utilizado pelos Sindicatos”, diz o Dr. Alberto Emiliano.
 
“Diante do contexto nacional de crise sanitária e econômica, o patronal tem aumentado os ataques contra a liberdade do trabalhador visando prejudicar a atuação dos Sindicatos. Cometem assédio moral em cima do trabalhador, perseguem dirigentes sindicais, incentivam a dessindicalização.
 
Temos denunciando toda essa situação para exigir o respeito ao trabalhador e a atuação sindical. Por isso, é muito importante que o movimento sindical esteja antenado e unido em como enfrentar essa situação”, diz o presidente da Força Paraná, Sérgio Butka.
 
Fonte: Força Sindical