Cartel dos RHs nas empresas congela salários e atrapalha o crescimento profissional de trabalhadores qualificados

  Para impedir o crescimento de profissionais qualificados, a diretoria do Stiquifar (Sindicato dos Trabalhadores...

 

Para impedir o crescimento de profissionais qualificados, a diretoria do Stiquifar (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas de Uberaba e Região) tomou conhecimento de que está começando a existir um cartel, entre as empresas do mesmo segmento, que é extremamente prejudicial para o desenvolvimento econômico do país. “Infelizmente, têm empresas que podem usar essa política nefasta para obter mão de obra barata a todo custo para aumentar os seus lucros”, observam.

Especialistas apontam que quando um profissional se capacita e percebe que a empresa onde estão trabalhando não tem nenhum programa de promoção para melhorem de nível ou de rendimentos, mesmo sendo elogiados pelos resultados do seu trabalho pelos gestores. Muitos começam a buscar uma colocação em outras empresas, quando descobrem que existe uma vaga aberta, com melhores salários. Entretanto, mesmo tendo todas as condições para preencher o cargo não são contratos, porque existe um conduta ilegal, com intuito de congelar os salários e atrapalhar o crescimento profissional.

Esse tipo de conduta é mantida em sigilo pelas empresas, conforme chegou ao conhecimento do Stiquifar. A intenção deles é não disputarem mão de obra qualificada, tornando cada vez mais precária as condições de trabalho e oferecendo salários que não dão dignidade para os trabalhadores garantirem o seu próprio sustento ou de familiares. “Como os trabalhadores passam a ter um salário mais achatado, diminui o seu poder de comprar ou para contratar serviços necessários. Então, cai a arrecadação nos municípios, estados e no país, que reflete nos investimentos em áreas principais como saúde, educação, segurança pública, entre outros”.