Miguel Torres participa do lançamento da campanha salarial dos Químicos

  O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, participou nesta quinta, 12 de agosto de 2021, do...

 

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, participou nesta quinta, 12 de agosto de 2021, do Seminário de Negociação Coletiva dos Químicos da Força Sindical.

O evento, realizado em Praia Grande, deu início à Campanha Salarial dos mais de 133 mil trabalhadores nos setores químico, plástico, petroquímicos, abrasivos, fertilizantes, cosméticos, tintas e vernizes, entre outros, com data-base em 1° de novembro, liderados pela Fequimfar (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo), presidido por Sérgio Luiz Leite, o Serginho, 1º secretário da Força Sindical, e pelos Sindicatos da categoria filiados.

Para Miguel Torres, que também é presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, “a campanha dos Químicos será, como sempre, muito forte e organizada. Os desafios são enormes, a inflação continua subindo e há muitos ataques por parte do governo, de seus aliados no Congresso nacional e do empresariado conservador aos direitos da classe trabalhadora. Mas, com união, mobilização e consciência de classe, a categoria liderada pela Fequimfar em todo o Estado de SP sairá vitoriosa”.

Miguel Torres também falou sobre a importância de se acompanhar, divulgar e exigir do Congresso Nacional a adoção da Agenda Sindical que visa colaborar com a retomada do desenvolvimento do País com geração de empregos de qualidade, trabalho decente, renda digna e manutenção e ampliação dos direitos sociais, sindicais, trabalhistas e previdenciários da classe trabalhadora.

“A atual conjuntura do país, com ataques aos direitos trabalhistas e sociais e ameaças à democracia, foi agravada pela pandemia de covid. A categoria está fazendo a sua parte e diante disso, nossa luta é pelo reajuste e aumento real dos salários, valorização do piso e PLR, além do custeio sindical para fortalecimento das estruturas sindicais e equilíbrio do processo de negociação coletiva”, explica Serginho.

 

Bandeiras de Luta
Defesa da Vida! Vacina para todos!
Manutenção e ampliação dos direitos sociais e trabalhistas
Defesa do Emprego e Direitos
Reajuste Salarial
Aumento Real e PLR
Auxílio alimentação
Trabalho Decente
Saúde e Segurança
Qualificação Profissional
Igualdade de Oportunidades
Proteção à maternidade
Fim do assédio moral e sexual
Fortalecimento da Estrutura Sindical

Fonte:  CNTM – 12/08/2021